Ilha Grande de São Cristóvão

A Ilha Grande é uma ilha brasileira situada no município de São Cristóvão, estado de Sergipe, exatamente no estuário do rio Vaza-Barris, próximo a sua desembocadura no oceano Atlântico.   Possui uma população estimada em setenta pessoas, que vivem basicamente da pesca fluvial e pequena agricultura de sobrevivência baseada na produção de mangas que acontece entre os meses de dezembro, janeiro, fevereiro se estendendo até fins de Abril.   A comunidade já possui energia elétrica mas não possui saneamento básico. Seu único meio de transporte é fluvial entre a Ilha e o continente, o povoado Pedreiras, distante da sede do município sete quilômetros por...


Leia Mais...

Ilha do Paraíso - Viral

Navegando no estuário do rio Vaza Barris sentido sul encontramos a Ilha do Paraíso que é ponto de encontro de diversas famílias que chegam ao local para deliciarem um bom banho de rio. Local aconchegante e com uma baia incrível, que proporciona prática de esportes náuticos com certa segurança, e um pôr do sol sensacional. Como chegar Encontramos no pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) e também na marina Marisol as embarcações que fazem esse trajeto. Em cinco minutos de navegação vamos transpor a ponte Joel Silveira que liga o município de Aracaju a Itaporanga d'ajuda, uma obra muito bonita. Logo...


Leia Mais...

Crôa do Goré

Um dos belos cartões postais de Sergipe a Crôa do Goré que fica localizada no rio Santa Maria, afluente do rio Vaza Barris, entre o município de São Cristóvão e Aracaju. Essa ilhota é formada quando a maré baixa e exibe sua areia clara e limpa com diversos quiosques feitos com tronco de coqueiro e cobertura de palha para que o visitante possa curtir uma sombra nos dias de muito sol e contando ao seu redor com belíssimomanguezal. Como chegar Diversas embarcações como lanchas, barcos e catamarãs partem do pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) aonde os visitantes podem escolher...


Leia Mais...
012

Notícias

Donos de cães podem ser responsabilizados por mortes de tartarugas

Quatro tartarugas fêmeas foram mortas este ano nas praias aracajuanas durante a desova, vítimas de ataques de cachorros. Equipes do Projeto Tamar estão fazendo o monitoramento das áreas onde ocorreram os ataques para identificar os proprietários dos animais que poderão ser responsabilizados por crime ambiental, já que são animais em extinção, e as mortes desses animais representam grande impacto ambiental.

Fábio Lira, biólogo do Projeto Tamar, explica que casos como este já aconteceram na praia do Abaís e Ponta dos Mangues, e que os ataques têm características próprias. “Além dos rastros que ficam na areia, as mordidas são sempre nos mesmos lugares, nas nadadeiras anteriores e no pescoço. As tartarugas quando estão na postura elas ficam imóveis e não esboçam nenhum tipo de reação sendo vítimas fáceis para os cães, que também não tem culpa porque são animais com instinto de caça”, conta.

Os ataques, de acordo com Fábio, aconteceram entre os bares Moqueca Alagoana, Cavalheiro e Parati, na praia do Mosqueiro. Equipes do Tamar estão fazendo buscas no local no intuito de identificar os donos dos animais e conscientizar a população.

“Como as notícias se propagam rápido, hoje nossas equipes já não encontraram mais cachorros na praia, acreditamos que os proprietários estão prendendo os animais. Esperamos que situações assim não voltem a acontecer. Nesse primeiro momento estamos tentando achar os donos desses animais e conscientiza-los, mas se a situação persistir será iniciado um processo ambiental que pode ser encaminhado para a justiça federal, já que são animais em extinção, e essas pessoas podem ser responsabilizadas por crime ambiental”, alerta.

Dano Ambiental

Fábio explica que essas fêmeas que estão morrendo estão na fase de maturação sexual, período mais importante das espécies silvestres. “A cada mil filhotes que nascem apenas um ou dois chegam à idade adulta. Essas fêmeas estão na fase reprodutiva, pondo seus ovos, e quando morrem deixam de contribuir para a continuidade da espécie que já está em extinção. A espécie já enfrente problemas de reprodução por conta da pesca, da ocupação das praias, da iluminação artificial, e agora ataques de cachorros domésticos. Somando tudo isso, o impacto ambiental é enorme e a população precisa ter consciência disso”, ressalta o biólogo.

Fonte: Portal Infonet

Parceiros




 

Publicidade

Sergipe Náutica

Email : O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web : www.sergipenautica.com.br

Capitania dos Portos de Sergipe

Endereço: Av. Ivo do Prado, nº 752 - Bairro São José - Aracaju/SE
Telefone:
(79) 3711-1600; 3711-1646; 3711-1647 (FAX)
Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web:
www.cpse.mar.mil.br

Marinha do Brasil