Ilha Grande de São Cristóvão

A Ilha Grande é uma ilha brasileira situada no município de São Cristóvão, estado de Sergipe, exatamente no estuário do rio Vaza-Barris, próximo a sua desembocadura no oceano Atlântico.   Possui uma população estimada em setenta pessoas, que vivem basicamente da pesca fluvial e pequena agricultura de sobrevivência baseada na produção de mangas que acontece entre os meses de dezembro, janeiro, fevereiro se estendendo até fins de Abril.   A comunidade já possui energia elétrica mas não possui saneamento básico. Seu único meio de transporte é fluvial entre a Ilha e o continente, o povoado Pedreiras, distante da sede do município sete quilômetros por...


Leia Mais...

Ilha do Paraíso - Viral

Navegando no estuário do rio Vaza Barris sentido sul encontramos a Ilha do Paraíso que é ponto de encontro de diversas famílias que chegam ao local para deliciarem um bom banho de rio. Local aconchegante e com uma baia incrível, que proporciona prática de esportes náuticos com certa segurança, e um pôr do sol sensacional. Como chegar Encontramos no pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) e também na marina Marisol as embarcações que fazem esse trajeto. Em cinco minutos de navegação vamos transpor a ponte Joel Silveira que liga o município de Aracaju a Itaporanga d'ajuda, uma obra muito bonita. Logo...


Leia Mais...

Crôa do Goré

Um dos belos cartões postais de Sergipe a Crôa do Goré que fica localizada no rio Santa Maria, afluente do rio Vaza Barris, entre o município de São Cristóvão e Aracaju. Essa ilhota é formada quando a maré baixa e exibe sua areia clara e limpa com diversos quiosques feitos com tronco de coqueiro e cobertura de palha para que o visitante possa curtir uma sombra nos dias de muito sol e contando ao seu redor com belíssimomanguezal. Como chegar Diversas embarcações como lanchas, barcos e catamarãs partem do pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) aonde os visitantes podem escolher...


Leia Mais...
012

Notícias

Marinha do Brasil desenvolve novo algoritmo de sonar passivo

O Treinador de Ataque do Centro de Instrução e Adestramento Almirante Áttila Monteiro Aché, do Rio de Janeiro, subordinado à Força de Submarinos (ForSub), vem, há quase um ano, trabalhando com um novo algoritmo de determinação de distâncias para o contato (alvo) por métodos passivos, desenvolvido pelo Grupo de Sistemas Acústicos Submarinos do Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM), no âmbito do projeto Sonar Passivo Nacional (SONAP).

 

Atualmente, o programa mantém linhas de pesquisa de hardwares robustecidos e especialmente projetados para incrementar o desempenho dos sistemas.

Mas ao lado disso os especialistas em sonar do IPqM mantém foco na elaboração de algoritmos de processamento de sinais, especialmente os de classificação de alvos e acompanhamento.

O projeto SONAP da Marinha já dominou o ciclo do sinal acústico, desde sua captura pelos elementos sensores (hidrofones) até a interface de deciframento representada pelos operadores sonar.

Em outubro de 2016, a Marinha instalou na Base Almirante Castro e Silva (BACS), da Ilha de Mocanguê (Baía de Guanabara) – coração da Força de Submarinos –, um sistema sonar passivo completo, nacional, que vem sendo operado de forma contínua pelo pessoal do Comando da Força de Submarinos, com a assistência da equipe de desenvolvimento.

O trabalho conjunto visa permitir avaliações e uma implementação contínua de melhorias. Em 2017 o gabinete eletrônico do sonar passivo foi completamente atualizado.

O sonar passivo funciona como os nossos ouvidos e só processa os sinais que chegam até os hidrofones – os “ouvidos” do submarino –, normalmente dispostos no casco em diferentes arranjos espaciais.

Por serem mais discretos que os sonares ativos (que emitem sinais), os sistemas passivos são amplamente utilizados em submarinos.

 

Classe Niterói – Mas, ano passado, o Grupo de Sistemas Acústicos Submarinos também acelerou seu projeto específico para sonares ativos – o SONAT (Sonar Nacional Ativo) –, em função do rol de deficiências dos equipamentos das fragatas classe Niterói.

O sonar ativo possui transmissores acústicos e emitem sinais que, ao serem refletidos por obstáculos submarinos, retornam na forma de “ecos”, processados pelo sistema, gerando informações como distância e direcionamento angular (marcação) do contato.

Nesse momento o projeto SONAT está em fase de avaliação na Diretoria de Sistemas de Armas da Marinha (DSAM), para que seja experimentado na revitalização dos sonares ativos das Niterói.

Isso, óbvio, irá representar importante salto tecnológico para o setor de pesquisas da Marinha, e marco de contribuição com o histórico dos sistemas ativos de alto desempenho da Força Naval (a maior parte deles, de tecnologia estrangeira).

Sonares ativos são mais comuns nos navios, devido ao forte ruído acústico produzido pelos propulsores e maquinário em geral das embarcações, que mascaram os sinais distantes e de baixa intensidade, usualmente analisados pelos sistemas passivos.

Tanque Hidroacústico – Uma fonte do Poder Naval que trabalhou no programa dos submarinos IKL 209 (classe Tupi), desenvolvido pelo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, ressalta que o IPqM também desenvolve os elementos sensores dos sonares, tanto passivos (os hidrofones) como ativos (os transdutores), a partir de cerâmicas piezoelétricas.

Trabalho que contempla, igualmente, a arquitetura da equipagem para a realização de testes, calibração e determinação de diagramas de irradiação de vasta gama de instrumentos acústicos submarinos, em seu Tanque Hidroacústico, especialmente projetado para a condução de ensaios acústicos submarinos.

Fonte: www.naval.com.br

 

Parceiros




 

Publicidade

Sergipe Náutica

Email : O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web : www.sergipenautica.com.br

Capitania dos Portos de Sergipe

Endereço: Av. Ivo do Prado, nº 752 - Bairro São José - Aracaju/SE
Telefone:
(79) 3711-1600; 3711-1646; 3711-1647 (FAX)
Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web:
www.cpse.mar.mil.br

Marinha do Brasil