Ilha Grande de São Cristóvão

A Ilha Grande é uma ilha brasileira situada no município de São Cristóvão, estado de Sergipe, exatamente no estuário do rio Vaza-Barris, próximo a sua desembocadura no oceano Atlântico.   Possui uma população estimada em setenta pessoas, que vivem basicamente da pesca fluvial e pequena agricultura de sobrevivência baseada na produção de mangas que acontece entre os meses de dezembro, janeiro, fevereiro se estendendo até fins de Abril.   A comunidade já possui energia elétrica mas não possui saneamento básico. Seu único meio de transporte é fluvial entre a Ilha e o continente, o povoado Pedreiras, distante da sede do município sete quilômetros por...


Leia Mais...

Ilha do Paraíso - Viral

Navegando no estuário do rio Vaza Barris sentido sul encontramos a Ilha do Paraíso que é ponto de encontro de diversas famílias que chegam ao local para deliciarem um bom banho de rio. Local aconchegante e com uma baia incrível, que proporciona prática de esportes náuticos com certa segurança, e um pôr do sol sensacional. Como chegar Encontramos no pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) e também na marina Marisol as embarcações que fazem esse trajeto. Em cinco minutos de navegação vamos transpor a ponte Joel Silveira que liga o município de Aracaju a Itaporanga d'ajuda, uma obra muito bonita. Logo...


Leia Mais...

Crôa do Goré

Um dos belos cartões postais de Sergipe a Crôa do Goré que fica localizada no rio Santa Maria, afluente do rio Vaza Barris, entre o município de São Cristóvão e Aracaju. Essa ilhota é formada quando a maré baixa e exibe sua areia clara e limpa com diversos quiosques feitos com tronco de coqueiro e cobertura de palha para que o visitante possa curtir uma sombra nos dias de muito sol e contando ao seu redor com belíssimomanguezal. Como chegar Diversas embarcações como lanchas, barcos e catamarãs partem do pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) aonde os visitantes podem escolher...


Leia Mais...
012

Dica da Semana

O que você precisa saber para não ficar sem bateria no meio do passeio

À exceção de barcos bem simples, qualquer embarcação tem motor, luzes de navegação, indicador do nível de combustível, rádio, bomba de porão e… pelo menos uma bateria, para tudo isso funcionar! Mas quase todo mundo esquece que baterias necessitam de recarga, porque nem sempre o alternador consegue repor a energia consumida enquanto o motor esteve desligado.

Quer um exemplo? Para cada partida num motor a gasolina V8 de 5 litros e 260 hp, são necessários cerca de 20 minutos de funcionamento só para recarregar a energia gasta na sua partida. Quer dizer, se você desligar
o motor antes, poderá não haver força suficiente para religá-lo. Portanto, o ideal é checar sempre as baterias e, antes que a carga caia para menos da metade (o que, inclusive, reduz a sua vida útil), recarregá-la como se deve. Ou seja, observando estes cuidados.

Use um carregador apropriado, de carga lenta ou, numa emergência, um carregador portátil. Assim como nos carros, a “chupeta” (transferência de carga de uma bateria para outra) não é boa idéia, pois a reposição é apenas parcial. Ou seja, em pouco tempo, a bateria ficará sem carga novamente.

Verifique a tensão (ou seja, a voltagem) de saída do carregador a cada seis meses. Se estiver acima de 14,5 V, o próprio carregador pode danificar a bateria.

Para ser conectado ou desconectado da bateria, o carregador deve estar sempre desligado.

Baterias liberam gás hidrogênio, que é explosivo. Portanto, jamais faça a recarga com o compartimento das baterias fechado.

Não recarregue uma bateria se o indicador de teste (caso a bateria tenha um) estiver amarelo, se houver marcas de danos na caixa, tampa ou pólos ou se o nível do líquido estiver abaixo do mínimo. Troque logo por uma nova.

Embora as baterias aceitem bem a carga rápida, o ideal é a recarga lenta, que leva entre 4,5 e 15 horas e com tensão de recarga entre 10 e 20% da capacidade nominal da bateria. Por exemplo, se a bateria for de 45 Ah, a corrente de recarga deve ficar entre 4,5 A e 9 A.

Não deixe que a tensão da recarga ultrapasse os 14,5 V nem que a temperatura da bateria suba acima dos 50 graus.

Baterias com menos de 11 V demoram mais para sinalizar que estão recebendo carga.

Nas baterias com indicador de teste, faça a recarga até ele ficar verde e não mudar mais de cor.

Não exceda o tempo de recarga da bateria, principalmente com corrente constante, para não danificá-la.

Se tiver um jet, recarregue a bateria dele sempre que não usá-lo por mais de 20 dias.


E se for mais de uma?

Dicas para recarregar um banco de baterias:


● Use baterias iguais, porque cada tipo de bateria tem uma tensão e um tempo de recarga específico.

● Certifique-se de que haja, pelo menos, um espaço de dois centímetros entre as baterias.

● As baterias podem ser ligadas em série, somando-se, assim, a sua tensão — por exemplo, duas baterias de 12 V fornecem 24 V. Neste tipo de ligação, o pólo negativo de uma é ligado ao positivo da seguinte, reservando o pólo positivo da primeira e o negativo da última bateria da série para ligá-las ao carregador.

● Quando são ligadas em paralelo, a tensão continua igual, mas a capacidade das baterias é somada — juntas,duas baterias de 12 V e 100 Ah,por exemplo, fornecem 12 V e 200 Ah.Neste caso, os pólos positivos são interligados e, da mesma forma,os negativos, em circuitos paralelos.E o carregador é ligado nos pólos da primeira bateria.

● Coloque no mesmo circuito somente baterias de mesma capacidade e no mesmo estado de carga.

● Não importa a quantidade, a tensão de recarga para as baterias é sempre de 13,5 a 14,5 V. Acima disso, podem ocorrer danos por sobrecarga.

Fonte: Revista Nautica

Parceiros




 

Publicidade

Sergipe Náutica

Email : O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web : www.sergipenautica.com.br

Capitania dos Portos de Sergipe

Endereço: Av. Ivo do Prado, nº 752 - Bairro São José - Aracaju/SE
Telefone:
(79) 3711-1600; 3711-1646; 3711-1647 (FAX)
Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web:
www.cpse.mar.mil.br

Marinha do Brasil