Ilha Grande de São Cristóvão

A Ilha Grande é uma ilha brasileira situada no município de São Cristóvão, estado de Sergipe, exatamente no estuário do rio Vaza-Barris, próximo a sua desembocadura no oceano Atlântico.   Possui uma população estimada em setenta pessoas, que vivem basicamente da pesca fluvial e pequena agricultura de sobrevivência baseada na produção de mangas que acontece entre os meses de dezembro, janeiro, fevereiro se estendendo até fins de Abril.   A comunidade já possui energia elétrica mas não possui saneamento básico. Seu único meio de transporte é fluvial entre a Ilha e o continente, o povoado Pedreiras, distante da sede do município sete quilômetros por...


Leia Mais...

Ilha do Paraíso - Viral

Navegando no estuário do rio Vaza Barris sentido sul encontramos a Ilha do Paraíso que é ponto de encontro de diversas famílias que chegam ao local para deliciarem um bom banho de rio. Local aconchegante e com uma baia incrível, que proporciona prática de esportes náuticos com certa segurança, e um pôr do sol sensacional. Como chegar Encontramos no pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) e também na marina Marisol as embarcações que fazem esse trajeto. Em cinco minutos de navegação vamos transpor a ponte Joel Silveira que liga o município de Aracaju a Itaporanga d'ajuda, uma obra muito bonita. Logo...


Leia Mais...

Crôa do Goré

Um dos belos cartões postais de Sergipe a Crôa do Goré que fica localizada no rio Santa Maria, afluente do rio Vaza Barris, entre o município de São Cristóvão e Aracaju. Essa ilhota é formada quando a maré baixa e exibe sua areia clara e limpa com diversos quiosques feitos com tronco de coqueiro e cobertura de palha para que o visitante possa curtir uma sombra nos dias de muito sol e contando ao seu redor com belíssimomanguezal. Como chegar Diversas embarcações como lanchas, barcos e catamarãs partem do pier localizado na Orla Pôr do Sol (mosqueiro) aonde os visitantes podem escolher...


Leia Mais...
012

Dica da Semana

Guinchos: Dicas para cuidar bem do seu e deixar sua âncora bem mais leve

Antigamente, tirar a âncora da água só era possível com a força de alguns braços. Hoje, mesmo nos barcos menores, o cansativo trabalho de puxar o ferro ganhou um valioso antídoto: os guinchos. Com eles, mesmo em situações adversas, como o mar bravo, subir a âncora ficou mais fácil e rápido. Existem três tipos: os manuais, elétricos e hidráulicos. Veja aqui qual se encaixa melhor ao seu barco e por quê.

Guincho Elétrico

Lofrans/Divulgação
 
    • São os mais populares. Para aumentar o conforto do comandante, podem ser instalados controles no posto de comando para acioná-lo. Ou seja, não é preciso sair do cockpit para subir e descer a âncora



    • Exige atenção na instalação elétrica, já que pode haver risco de acidentes ou consumo exagerado de energia. Não use cabos finos. São frágeis e só aumentam o risco de incêndio. É preciso um disjuntor a mais só para ele



  • Mesmo sendo à prova d’água, é melhor que o motor do guincho elétrico fique dentro do paiol. Na proa bate água e isso pode diminuir sua vida útil

Guincho manual

Angela Garcia/Arq. Náutica
 
    • Mesmo sendo pesado, pode ser usado em lanchas. Mas, geralmente, são mais vistos em veleiros de até 42 pés



    • São fáceis de instalar e quase não precisam de manutenção. Além disso, são mais confiáveis, já que não têm componentes elétricos nem hidráulicos



    • Não são práticos e confortáveis, porque para retirar a âncora da água é preciso sair, ir até a proa e acionar o guincho



  • Não são tão fáceis de encontrar no mercado

Guincho hidráulico

M. Latorre/Arq. Náutica
 
    • São os mais potentes e usados apenas em barcos grandes, a partir dos 80 pés



  • Seu motor é menor do que o de um elétrico e a instalação é bem simples. Mas, assim como os guinchos manuais, não são tão usados no Brasil

 

5 dicas para cuidar bem do seu guincho
1 - Guinchos funcionam melhor com correntes no lugar de cabos porque tracionam melhor, e o seu peso faz com que a ancoragem seja mais segura.

2 - Coloque uma trava para correntes entre o bico de proa e o guincho. É útil para que a força da âncora não fique toda no guincho. Já os cabos, devem ser amarrados no cunho

3 - Antes de instalar o guincho, cheque se a proa é apropriada para suportar a força de puxar a âncora

4 - Alguns guinchos usam, ao mesmo tempo, cabo e corrente. Certifique-se de que a coroa (peça que faz a tração) suporte os dois tipos

5 - Veja se o paiol tem tamanho suficiente para cabos e correntes, pois elas podem travar o guincho



Por Francisco Faria
Matéria originalmente publicada na Revista Náutica N°205

Parceiros




 

Publicidade

Sergipe Náutica

Email : O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web : www.sergipenautica.com.br

Capitania dos Portos de Sergipe

Endereço: Av. Ivo do Prado, nº 752 - Bairro São José - Aracaju/SE
Telefone:
(79) 3711-1600; 3711-1646; 3711-1647 (FAX)
Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Web:
www.cpse.mar.mil.br

Marinha do Brasil